Quem somos

E das coisas que fazemos

A Qual Albatroz é uma casa de fazedores de livros, riscadores de papel e contadores de histórias, onde as ideias rodopiam livres e a criatividade tem pernas para voar. Como editores independentes, a nossa actividade compreende três áreas distintas: serigrafias e livros feitos à mão, livros de poesia e arte, e livros para crianças. Ligam-nas o empenho, o rigor e a alegria que pomos em cada projecto.

Edição

Cada um dos nossos livros é cuidadosamente pensado e executado com amor e esmero. Entusiasma-nos o desenho da escrita e a escrita do desenho, e refinamos todos os aspectos que melhorem a relação do leitor com o livro. É um processo vagaroso, de aprendizagem e de descoberta. Por isso, publicamos pouco, um livro por ano, às vezes dois, às vezes nenhum. Mas orgulhamo-nos de cada um deles.


Serviços editoriais

Oferecemos os seguintes serviços editoriais:

  • revisão e edição de texto;
  • coordenação editorial;
  • ilustração;
  • paginação;
  • design gráfico.

Use os nossos contactos, que estão no rodapé desta página.

Acção educativa

A nossa acção educativa estende-se a três áreas fundamentais:

A PALAVRA
– promoção da leitura, da construção de narrativas e da expressão escrita.

A ILUSTRAÇÃO
– aulas de desenho e de ilustração para idades dos 6 aos 106.

OFÍCIOS 
– técnicas de impressão em serigrafia e gravura;
– trabalhos em madeira.

Para ficar a par de toda a nossa oferta, consulte a página da acção educativa, bem como o nosso calendário de actividades.

Pode ainda assinar a nossa newsletter mensal para saber sempre tudo sobre os nossos projectos e as nossas tramóias.


Oficina do Erro

Durante a Primavera e o Verão de 2016, recuperámos o mágico espaço que em tempos foi a livraria Bichinho de Conto na Fábrica da Pólvora de Barcarena. Transformámos um espaço vazio e a cheirar a mofo num lugar com alma e com cheiro a palavras, papel e tinta. Veja aqui o vídeo da obra:

Qual Oficina from Qual Albatroz on Vimeo.

Marc Parchow

Marc Parchow

Manda-Chuva | Ilustrador

Nasci em Paris, no Verão quente de 1976, onde me sujeitei a uma elevada concentração de criatividade, que mais tarde me viria a prejudicar na escolha de emprego, tornando-me indiferente a uma carreira lucrativa como informático.

O meu ponto fraco é queijo com Nutella.
(mais…)



Conceição Candeias

Conceição Candeias

Porta-Estandarte | Revisora

Comecei a ser revisora por acidente, mas depressa descobri que antes de o ser já o era.
Como, além de acertos, gosto de erros, de vez em quando também faço os meus, ensaiando duvidosas combinações de palavras, papel e tinta. Para fugir aos papéis, canto e faço tai-chi. Sou uma incorrigível maria-vai-com-o-marc. E vou tentando errar cada vez melhor…

(mais…)


José Carlos Dias

José Carlos Dias

Manda-Chuva | Palavreiro

Gosto de ensinar, de palavras e de computadores, e vou dividindo a vida a tentar juntar estas três áreas. De quando em vez, escrevo poemas, contos e teatro (peças para o grupo de Varsóvia); traduzo poesia do espanhol e do polaco; e vou jogando um pouco aqui e um pouco ali.
(mais…)